CIBECOM´2017

CIBECOM´2017

Paola López Rueda, empresária, jornalista, conferencista e apresentadora da CIBECOM’2017 fala-nos sobre Reputação, Sustentabilidade e Transparência

24 Fevereiro, 2017 |by Cibecom | Comentários fechados em Paola López Rueda, empresária, jornalista, conferencista e apresentadora da CIBECOM’2017 fala-nos sobre Reputação, Sustentabilidade e Transparência | La entrevista, Noticias | ,

Paola Rueda López (Colômbia), empresária, jornalista e conferencista, além de sócia-gerente da empresa SCITECH, vai ser a apresentadora da CIBECOM’2017, um fórum pioneiro pelos seus objectivos, conteúdos e âmbito geográfico, em que serão identificadas as principais tendências da comunicação corporativa na América Latina.

P: Qual é a importância da reputação, da sustentabilidade e da transparência para as organizações de hoje?

R: A transparência, a reputação e a sustentabilidade são chaves e pré-requisitos entre si.

Transparência quando se fala de um mundo 360o em que as redes sociais têm dado o poder a todos os stakeholders para comunicarem o que sentem na sua relação com a organização, torna-se um primeiro factor crítico que dá, ou pode afectar a reputação. É gerador de confiança.

A reputação é a percepção global. É a imagem colectiva do valor gerado por uma empresa ao longo da trajectória de cada um dos membros da sua cadeia de valor, interno e externo. É essa marca indelével, que não transparente, mas branca como o resultado da soma das cores e nuances de comportamento da organização, postas sobre a roda da comunicação que antes girava utilizando um pedal manual, e agora o faz apenas com um click. Nem sequer falamos da maior velocidade da comunicação, mas do tempo real.

A reputação, por sua vez, é responsável pela credibilidade – para as empresas cotadas na bolsa de valores –  que serve mesmo de termómetro de acordo com a percepção do mercado, em que uma empresa pode ter temperatura alta ou tão baixa que se presuma que o seu coração já não bate. Nas duas situações o valor da acção é a consequência.

E é precisamente este conceito de relacionamento duradouro e estável com o ambiente económico, social e ambiental que faz com que se consolide um modelo de negócio em que a tomada de decisão é baseada em valores compartilhados. E aí chega a sustentabilidade.

Exige pensar, dizer e fazer coerentemente, sentindo-se parte de um ecossistema. ECO porque deve ser winwin, e SISTEMA porque um dos elos da cadeia pode afectar até mesmo o risco mais fraco ou “insignificante”.

Não basta então apenas monitorá-los e mitigá-los, é preciso ter habilidade para observar todas as dimensões e potenciar as oportunidades que gerem o factor que faz a diferença, que contribui para a competitividade, para o crescimento e continuidade da organização.

P: Que influência tem a reputação e a transparência de uma organização nos seus processos de mudança?

R: A mudança é um factor constante, e para podermos falar de sustentabilidade a organização terá que abordar vários cenários para se adaptar às novas realidades, ou até mesmo criá-las.

Neste cenário, torna-se essencial que a organização identifique os travões e motores, o que significa que a reputação e a transparência são definitivos para a transformação. Para que os seres humanos envolvidos confiem. Para que a empresa acredite. Acreditar para criar.

P: Por que acha que uma cimeira como a Cibecom é importante para o desenvolvimento da profissão de comunicador na América Latina?

Pelos conteúdos: É ter num só lugar as boas práticas da nossa profissão na América Latina. Trata-se de uma imersão a que acedem as pessoas que assumem a função de Directores de Comunicação, CEO’s e dirigentes políticos, partilhando as suas visões e experiências sobre a comunicação estratégica.

Pelo Networking: É o palco para partilhar com os colegas, discutir êxitos e fracassos e trocar experiências. Torna-se um oceano de benchmarking.

Pela Organização: É a primeira vez que vejo um evento convocado por tantas e tão prestigiadas instituições e associações de comunicação e de relações públicas de diferentes países da América Latina. É ter um evento pensado e organizado pela Confederação da Indústria de Comunicação Mercadotécnica (CICOM), a Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (ABERJE), a Associação Portuguesa de Comunicação de Empresa (APCE), a Associação Profissional de Directores de Comunicação (AsoDircom), a Associação Uruguaia de Relações Públicas (AURP), o Centro Colombiano de Relações Públicas e Comunicação Organizacional (CECORP), o Conselho Federal de Profissionais de Relações Públicas (CONFERI), o Conselho Profissional de Relações Públicas da República Argentina (CPRP), a Associação de Directivos de Comunicação (Dircom), o Círculo DirComs (DIREMOS), o Fórum de Comunicação Corporativa (FOCCO) e a Associação Mexicana de Profissionais de Relações Públicas (PRORP).

Eu quero saber as várias propostas conceptuais e metodológicas, trocar ideias, e viver esta experiência multicultural para trazer o que considerar que contribui e acrescenta ao meu exercício de profissional de comunicação.

Eu vou lá estar, e você?

KEEP READING

Este sitio web utiliza cookies propias y de terceros, para recopilar información con la finalidad de mejorar nuestros servicios, para mostrarle publicidad relacionada con sus preferencias, así como analizar sus hábitos de navegación. Si continua navegando, supone la aceptación de la instalación de las mismas. El usuario tiene la posibilidad de configurar su navegador pudiendo si así lo de sea, impedir que sean instaladas en su disco duro, aunque deberá tener en cuenta que dicha acción podrá ocasionar dificultades de navegación de la página web.

ACEPTAR
Aviso de cookies