A 5ª Conferência Internacional de Relações Públicas (CIRP) na Argentina, contou com mais de 20 oradores de diferentes setores destacando o crescimento do papel da Dircom a nível mundial

A 5ª edição da CIRP, organizada pelo Conselho Profissional de Relações Públicas e decretada de Interesse Nacional pelo Poder Executivo, teve por objetivo a difusão e reflexão sobre a prática profissional e construção de vínculos verdadeiros e permanentes. A 1 de setembro realizou-se, na Universidade de Belgrano (Argentina), a 5ª Conferência Internacional de Relações Públicas (CIRP), decretada como Interesse Nacional pelo Poder Executivo, que contou com 450 participantes.

A CIRP é um evento de inquestionável destaque na divulgação científica e prática de Relações Públicas e Comunicação Institucional na Argentina. Foi organizada pelo Conselho Profissional de Relações Públicas (CPRP), para oferecer um espaço de intercâmbio e conhecimento traduzidos no desenvolvimento interdisciplinar da profissão. Assim, incentivou o diálogo e a compreensão da disciplina na sociedade.

Sob o lema “O valor das relações e as relações como um valor“, a Conferência reuniu na sua quinta edição oradores de renome internacional como Gregor Halff (presidente da Global Alliance), Isela Costantini (presidente da Aerolíneas Argentinas), Gabriel Adler (diretor para a área Legislativa da NASA) e Derina Holtzhausen (decana do College of Fine Arts & Communication da Lamar University), entre outros.

Ignacio Viale, presidente do Conselho afirmou: “Hoje os comunicadores devem trabalhar para estabelecer pontes de diálogo. Não há futuro se não se construir um vínculo com o outro. O profissional de relações públicas deve estabelecer laços que perdurem ao longo do tempo. Sem relações não há ações, e sem ações não há futuro”.

Outro orador foi Gregor Halff, presidente da Global Alliance, que afirmou: “Os profissionais de relações públicas competem constantemente pela atenção dos media porque todos os setores são produtores de conteúdo”. “Os países estão a movimentar-se na mesma direção, a diferença está na velocidade a que as relações públicas evoluem e como são exercidas em cada um deles”.

Isela Costantini, presidente da Aerolíneas Argentinas declarou: “Na Aerolíneas não há necessidade de criar Focus Group, porque somos da opinião que a companhia é tanto dos que nela voam como daqueles que não o fazem”. “Não tenho Twitter, porque prefiro trabalhar respondendo diretamente aos e-mails de três consumidores insatisfeitos, ao invés de passar o meu tempo a ler milhares de tweets”.

Santiago Bilinkis, tecnólogo e autor de “Passagem para o futuro”, afirmou: “Pela primeira vez a produtividade aumentou, mas baixou o nível de emprego, devido à substituição do trabalho humano pelas máquinas e pelos robots”.

Sonia Abadi, médica e investigadora em inovação e redes humanas, disse: “As relações humanas têm laços infinitos, laços esses que recebem e redistribuem uma grande quantidade de informação”. “As pessoas mais aptas para criar redes são aquelas que têm diversos talentos”. “O meu verdadeiro capital é a minha rede”.

A Conferência Internacional de Relações Públicas destina-se a profissionais da disciplina, quer estejam no âmbito académico, público, organizacional ou na consultoria. O evento liga especialistas de várias áreas a nível mundial àqueles que praticam a profissão no país, e gera um espaço de intercâmbio de conhecimento e networking.


img1-cirp-2016

Os temas abordados este ano foram:

  • Geolocalização: Relações Públicas no contexto internacional, por Gregor Halff (presidente da Global Alliance).
  • Novos Universos em Relações Públicas … Mentes Abertas. Gabriel Adler (diretor para a área Legislativa da NASA), Juan Carlos Molleda (decano da Universidade de Oregon, EUA) e Nicolás Pimentel (Castro Innovation House)
  • Gerindo o capital intangível. O foco dos CEO’s. Com Gastón Remy (presidente da Dow Região Sul da América Latina) e Isela Costantini (presidente da Aerolineas Argentinas), José Urtubey (diretor da Celulosa e do comité executivo da UIA), Juan B. Ordoñez (diretor executivo da Barrick Gold) e Diego Cabot (jornalista do La Nación) como moderador.
  • Assuntos Públicas, os desafios do amanhã. Adrián Perez (secretário dos assuntos políticos do ministro do interior), Francois Roudie (chefe da seção política de delegação da União Europeia).
  • Relações Públicas Ativistas. Derina Holtzhausen (decana do College of Fine Arts & Communication de Universidade de Lamar)
  • A nova Sociedade Digital. Com Eduardo Arriagada (decano da Faculdade de Comunicação na Universidade Pontifícia Católica do Chile) e Iván Pino (especialista em Comunicação Digital) e Sonia Abadi (médica, psicanalista e investigadora). Moderaçaõ de Ricardo Braginski, jornalista do jornal Clarín.
  • Questões críticas até 2026. Tarcisio Muleque (profissional na área da sustentabilidade), Monsenhor Jorge Casaretto (O Olhar do Papa Francisco) e Santiago Bilinkis (tecnólogo e autor de Passagem para o Futuro).
  • Mobilizar e inspirar a partir do Terceiro Setor. Oscar Ghillione (Educar Argentina), Verónica Cheja (Tetas, Leão de Ouro no Festival de Cannes), Ignacio Ferioli (vice-presidente e diretor geral criativo da DAVID).

Este sitio web utiliza cookies propias y de terceros, para recopilar información con la finalidad de mejorar nuestros servicios, para mostrarle publicidad relacionada con sus preferencias, así como analizar sus hábitos de navegación. Si continua navegando, supone la aceptación de la instalación de las mismas. El usuario tiene la posibilidad de configurar su navegador pudiendo si así lo de sea, impedir que sean instaladas en su disco duro, aunque deberá tener en cuenta que dicha acción podrá ocasionar dificultades de navegación de la página web.

ACEPTAR
Aviso de cookies